filmes
Os Embalos de Sábado à Noite

 

Baseado em um artigo de jornal, o filme apresenta a vida de Tony Manero (John Travolta) um rapaz de 19 anos que trabalha em uma pequena loja de tintas no Broolyn. Descontente com seu trabalho, Tony se encontra quando está na pista de dança no clube noturno Odisséia 2001, onde ele arrasa na pista de dança.

Em suas noitadas de dança de algazarras Tony está sempre na companhia de seus amigos Joey (Joseph Cali), Double J. (Paul Pape) e Bobby C. (Barry Miller). Joey e Double J. são, assim como Tony, arruaceiros e estão sempre bêbados, já Bobby C parece que está no grupo apenas por que é o único que tem carro. Junto a eles sempre podemos ver a rebelde Annette, uma bela jovem que é apaixonada por Tony e com ele faz uma parceria para um importante concurso de dança no clube Odisséia 2001.

Para desespero de Annette a parceria é desfeita quando Tony conhece Stephanie Mangano, uma secretária com um futuro promissor e que arrasa nas pistas de dança. Encantado com Stephanie, e depois de muita discussão com a moça, Tony acaba convendo-a a participar como sua parceira no concurso de dança.

O filme também retrata alguns dramas familiares, como o conturbado relacionamento de Tony com sua família, com destaque para seu irmão Frank Jr., que sempre foi o preferido da família e ia se tornar padre, porém abandona seu objetivo por ter dúvidas quanto a sua fé e por não querer seguir mais o celibato. Também podemos ver o drama de Bobby C. que descobre que sua namorada está grávida e ela se nega a fazer um aborto, o rapaz acaba deprimido

FICHA

"Os Embalos de Sabado à Noite"
Título original:
"Saturday Night Fever"
EUA, 1977, 112 minutos.

John Travolta - Tony Manero
Karen Lynn Gorney - Stephanie
Barry Miller - Bobby C.
Joseph Cali - Joey
Paul Pape - Double J.
Donna Pescow - Annette
Bruce Ornstein - Gus
Julie Bovasso - Flo
Martin Shakar - Frank
Lisa Peluso - Linda
Denny Dillon - Doreen
Fran Descher - Connie

Direção: John Badham
Produção: Milt Felsen e Robert Stigwood
Roteiro: Norman Wexler, com estoria de Nik Cohn

Edição: David Rawlins
Figurino: Patrizia von Brandestein
Música: Barry Gibb, Maurice Gibb, Robin Gibb e David Shire
Direção de fotografia: Ralf D. Bode
Estúdio: Paramount Pictures
Distribuição: Paramount Pictures
Genero: Drama

Chega o dia do grande concurso, Tony e Stephanie fazem uma belíssima apresentação e são aclamados pela platéia, porém um casal porto-riquenho faz uma apresentação magnífica ainda melhor que a de Tony. Na entrega dos prêmios Tony e Stephanie recebem o primeiro lugar, porém é nítido que eles ganharam por sua popularidade no Clube. Frustrado com a situação, Tony entrega o troféu aos porto-riquenhos (que ficaram com o segundo lugar) e acaba tentando agarrar Stephanie que consegue fugir do rapaz.

Arrasado, Tony e seus amigos vão até uma ponte onde eles costumam se reunir, Tony discute com o deprimido Bobby C. que acaba caindo da ponte e morre. Ao ser interrogado pelos policiais sobre o possível suicídio de Bobby C. Tony comenta "Sabe, as vezes você se mata sem se matar...".

Ao final Tony procura Stephanie realmente arrependido de seus atos, e pede que a moça lhe dê mais uma chance para uma verdadeira amizade e talvez um futuro relacionamento. Vendo sinceridade nas palavras do rapaz ela acaba perdoando-o e a cena final é do casal se abraçando.

O filme foi um ícone da década de 70 e consagrou a disco music. Sua riquíssima trilha sonora faz sucesso em várias pistas até os dias de hoje e trazia nomes como Bee Gees, em hits que marcaram época, e a banda Kool and the Gang.

Curiosidades

- Devido a censura o filme foi relançado em 1978 com três minutos a menos de duração;
- John Travolta recebeu uma indicação ao Oscar pelo seu papel de Tony Manero;
- Tony Manero é o nome verdadeiro de um jogador de golfe;
- Robin Gibb, integrante dos Bee Gees, que fizeram a trilha do filme, confessou em entrevista a BBC que nunca assistiu ao filme;
- A atriz Danna Pescow foi considerada bonita demais para interpretar a personagem Annette, para interpretá-la ela teve que engordar mais de 10 quilos e adquirir o sotaque do Brooklyn.
.

Cláudia Villalobo


voltar