HALL OF MIRRORS

Os Melhores Video-Clipes dos anos 80

Domino Dancing

1988. O House se espalhava pelas paradas de todo o mundo. A mistura inventada pelo Afrika Bambaataa em Planet Rock, da música eletrônica alemã nos samples do Kraftwerk com a música negra do Bronx, criaram as bases do freestyle. O estilo ganhou contornos próprios com o Information Society e a maravilhosa Running em 1984 (que chegou no Brasil apenas em 88!!). Ao chegar em Miami o estilo adquiriu um tom passional, mas diferentemente do neo-romantismo inglês, falava mais declaradamente sobre o amor, bem ao estilo latino de ser. Esse romantismo pode ser visto nas traduzidas da semana do Voice in Fashion, Cover Girls e Company B.

Com toda essa revolução na música acontecendo, os Pet Shop Boys começam a preparar o seu Freestyle em Miami sob a influência confessa de Exposé, outra das precursoras do estilo. A dupla inglesa contatam Lewis Martinee, produtor das garotas do Exposé e convidam a maravilhosa banda The Voice in Fashion para fazer o remix e participar dos backing vocals. Você reconhecia aquele 'all day, all day' de algum lugar, certo? Sim, é a mesma que canta emotivamente 'give me your love, once, twice...'. Agora mesmo com seu sotaque 'mais britânico impossível' estavam prontos para fazer Latin Dancepop, gravam o single e viajam para Porto Rico, onde gravam duas versões do clipe, um dos poucos do mundo a ter versão extended e curta. Inclusive na versão longa há uma sincronização de remix de música e clipe imbatível. Influência total do Kraftwerk. O clipe entrou para a história como o mais bem produzido clipe de Freestyle e Chris Lowe, comentando o resultado do top álbum Introspective, brinca: "Causaria ciúmes até no Nick Rhodes".

Dirigido por Eric Watson, um dos preferidos da banda, responsável também por Love Comes Quickly, Suburbia, It's Alright, So Hard entre outros, o clipe começa com a disputa por uma garota maravilhosa, Donna Bottman, considerada uma das mais belas garotas dos clipes dos 80, com seu ar latino, maravilhosos olhos verdes e cabelos castanhos, vestida tipicamente para um calor tropical, com superdecotes e saias curtíssimas, comuns hoje em dia, mas que tiravam o fôlego dos garotos naqueles dias das pistas House/Freestyle e Technopop. Que garoto dos 80 nunca sonhou com ela? No clipe o garoto fica apaixonado, corre atrás dela, mas a relação que ela quer é diferente, sem envolvimento. Enquanto ela dança com um e com outro na pista, ela mostra que o que ela quer realmente é adicionar mais garotos à sua pontuação.

Antes disso ela cobre os olhos do garoto com um pano, uma brincadeira perigosa, numa alusão à AIDS. O final histórico do clipe, embora para alguns seja relacionado apenas com a homosexualidade, é marcado também pela analogia com a AIDS, em que todos vão caindo, sendo pegos pelo vírus, é um relato triste dos momentos da descoberta da doença, todos caindo como uma fileira de dominós, todos vão caindo, um a um, um derrubando o próximo. Não que ao mesmo tempo não haja outro tema superpolêmico Os dois garotos se jogando na água, brigando na areia, sem camisas, e no final vão embora juntos, deixando a bela Donna Bottman para trás. O público norte-americano mais uma vez decepciona por seu preconceito descomunal e estúpido. Após o sucesso da música nos eua, e a exibição quase diária na MTV, a banda foi renegada pela inútil hipocrisia evangélica da sociedade norte-americana, homofóbica, preconceituosa e conservadora que só descobriu nesse clipe o tema do homosexualismo presente nas músicas do Pet Shop Boys desde o inicio.

Tudo bem, vocês querem saber também os nomes dos garotos no clipe? São David Boira e Adalberto Martinez. Completando o cast de famosos, como sempre preocupados com a parte artística e cultural em todas suas composições, a coreógrafa Maribel la Manchega foi convidada para coordenar a coreografia do clipe, junto com Derek Jarman que também auxiliou na direção.

Essa atitude maravilhosa dos Pet Shop Boys é na verdade um alerta para todos. É preciso saber aproveitar... aproveitar e se cuidar.

Muita Luz!

Cris Maggio e Marcos Vicente

Edições Anteriores


voltar