HALL OF MIRRORS

Os Melhores Video-Clipes dos anos 80

Madonna - Papa Don't Preach


Nesta semana mais um clipe sensacional dos anos 80, o premiado Papa Don't Preach, da Super Star Madonna, que já em 1990 lançava a coletânea de clipes Immaculate Collection, com seus melhores vídeos, dentre eles os já comentados no site dos anos 80 Material Girl, Like a Prayer e Borderline.

Papa Don't Preach foi o primeiro clipe da Madonna premiado no MTV Music Awards. Em 1987, indicado para os prêmios de melhor performance, melhor coreografia, melhor direção artística e melhor cinematografia, ganhou o prêmio de melhor videoclipe feminino do ano.

O diretor, James Foley, na mesma época do lançamento do videoclipe, dirigia o filme Caminhos violentos (At Close Range) estrelado por Sean Penn, marido de Madonna na época. No ano seguinte, 1987, dirigiu o filme Quem é essa Garota (Who's That Girl), estrelado por Madonna.

O clipe de Papa Don't Preach contou também com a ilustre presença de Danny Aiello, o eterno italiano "mafiosi" desde os anos 80. Participou dos filmes Era uma vez na América (1984), A Rosa Púrpura do Cairo (1985), A Coisa (1985), A Era do Rádio (1987), Feitiço da Lua (1987), Faça a Coisa Certa (1989) e já nos anos 90, participou da trilogia do Poderoso Chefão. Em quase todos os filmes fazia papel de italiano radicado nos EUA, mafioso ou não.

Em Papa Don't Preach fez o papel de "papa", o pai da estrela ítalo-americana Madonna, que no clipe usa até uma camiseta com a frase: "Italians do it better" (as italianas fazem melhor). Desde que começou a causar polêmica, a mídia americana começou a defini-la como uma artista ítalo americana, afinal de contas, seria muito para os hipócritas americanos admitirem que alguém como a Madonna era simplesmente americana, tinha que ter uma ascendência "suspeita".

Enfim, já em Papa Don't Preach Madonna leva ao público um tema delicado: a gravidez adolescente. Nele, interpreta uma garota que engravida cedo e teme a reação do pai, que a criou sozinha desde pequena. Como precisa dos seus conselhos e de toda a sua ajuda, no final eles acabam conversando e depois de algum tempo de muito pensar, o pai a apoia e tudo fica bem.

O clipe é muito bem produzido. É muito interessante a forma como se desenvolve, como se fosse um conto. No primeiro momento, ao som da introdução com violinos, existe a ambientação. Mostra-se o lugar e os tipos que nele vivem. Depois, a caracterização das personagens: pai e filha desde que ela era bem novinha vivendo e fazendo as coisas juntos. Depois a paquera e o namoro de Madonna e a caracterização do namorado, um mecânico de automóveis. A falta de apoio das amigas, a dúvida e o medo de falar com o pai e no final, a cena em que Madonna conta para o pai que está grávida e tem a feliz surpresa de ser acolhida nos braços do mesmo.

Todas as cenas são sincronizadas com o tempo da música. Enquanto anda, Madonna anda no ritmo da música e as mudanças de cena acompanham as mudanças da música e no refrão, a coreografia que foi imitada por todas as garotas dos anos 80.

Um grande clipe da Rainha do Pop, esquentando o clima para o Especial Madonna que acontece neste sábado no Projeto Autobahn. Curtam o clipe, a música e, claro, o Superespecial de sábado!


Muita Luz

Cris Maggio

Edições Anteriores


voltar