Lembranšas
Chaveiros dos anos 80 - Parte I

Olá amigos apaixonados pelos anos 80! Hoje vamos falar de uma febre que agitou a galera oitentista que era colecionar chaveiros.

A mania por chaveiros começou no início dos anos 80 e se estendeu por vários anos e foi se incrementando ao longo tempo e embora fosse um hobbie mais dos meninos as meninas também aderiram à moda. O chaveiro passou a fazer parte do nosso visual e virou um acessório básico para compor nosso look. Aliás o nosso molho de chaves era geralmente composto de duas chaves e dez chaveiros, todos de modelos e cores diferentes e não servia só para carregar as chaves, ele era exibido pendurado nas mochilas, nos estojos, nos cadernos e até no pescoço.

A mania começou com os chaveiros de acrílico de cores e modelos variados e os que faziam mais sucesso eram os verde-limão, rosa e laranja que seguiam a moda do New Wave. O fim do ano era a melhor época para incrementar nossa coleção, já que era muito comum as empresas darem chaveiros de brindes de fim de ano. Aliás quanto mais marcas diversas melhor! Muitos chaveiros eram vendidos em bancas de jornal e a disputa era tão grande que íamos até os bairros vizinhos atrás de novidades para exibir pra galera. Com o sucesso dos chaveiros, as grandes marcas começaram a confeccionar como acessório e me lembro que uma das primeiras marcas a vender foi a Pakalolo, que aliás era motivo de ostentação entre as meninas. Havia também os promocionais da Guaraná Taí, o inesquecível chaveiro da copa da Espanha de 82, e os chaveiros da GM como do Chevette entre outros.

Depois dos de acrílico, a moda foram os chaveiros emborrachados de E.V.A. e praticamente todas as marcas vendiam. E ainda tiveram os de pé de pato, prancha de surf, skate, etc.

No auge da tecnologia os chaveiros não podiam ficar de fora, então as sacoleiras traziam aos montes os chaveiros eletrônicos do Paraguai e logo se tornou febre entre a galera. Eles reproduziam vários sons diferentes, entre eles o som de sirene, bomba e tiros que imitavam as máquinas de fliperama. Umas das melhores lembranças que tenho desse chaveiro, foi quando a classe inteira combinou de levar esses chaveiros em sinal de protesto contra uma professora megera, o combinado era todos ligarmos os chaveiros assim que ela entrasse na sala, foi lindo, porém, como democracia não era muito usada na época, a classe inteira foi suspensa e os chaveiros proibidos na escola!

Como o mercado já não oferecia grandes novidades, a moda foi confeccionar os próprios chaveiros e aí a galera dava show de imaginação, aí a disputa era pra quem fazia o chaveiro mais original e as meninas sempre ganhavam. Lembro dos chaveiros feitos de tampinha de garrafa, de lacre de latinha de refrigerante, mas o que virou moda eram os feitos de barbante trançado de cores e tamanhos diferentes e usávamos pendurado no passante do cinto. Os modelos eram bem variados e alguns eram bordados com o nome pra ficar personalizado.

É isso aí pessoal, sempre é muito bom recordarmos desses anos maravilhosos da nossa infância, então que tal matar saudade das nossas músicas preferidas sábado no Autobahn!

 

Ivana Fevereiro
,