Lembranšas
Cinemas dos anos 80


Cine Comodoro - Em cartaz EVITA com Madonna

Um dos passeios mais apreciados pela galera nos anos 80 era, sem dúvida, ir ao cinema.

O centro de São Paulo, apelidado de Cinelândia, mais precisamente a região entre as avenidas Ipiranga, São João e Paissandu, abrigavam as melhores salas da cidade. A maioria deles foi inaugurado na década de 40 e 50 e muitos continuavam, mesmo nos anos 80, a exibir a arquitetura e o glamour da época. Na época em que era seguro ir ao centro no sábado à noite, o centro ficava agitadíssimo, e nas estréias as filas dobravam as esquinas. Lembro-me bem que comprávamos os jornais para saber a programação completa dos cinemas da região. Muitos bairros tinham seu próprio cinema, mas o legal era curtir a agitação do centro.

Vamos agora matar saudades de alguns:

Cine Marabá: A famosa sala de cinema da avenida Ipiranga foi inaugurada em 1944 e é a única a permanecer no circuito de exibição comercial daquela região. Esteve na ativa por 63 anos, quando em 2007 foi comprado pela distribuidora Playarte. Em 2009 foi reinaugurado com 5 salas de exibições e continua sendo um símbolo da cidade. Vale a pena matar saudades.


Cine Olido - O Retorno de Jedi e Indiana Jones

 

Cine Comodoro: Ficou em funcionamento de 1959 à 1997 na Av. São João, foi um dos ícones do entretenimento pela sua inovação. Sua tela media 20 metros por 7 de altura e possuía uma curvatura de 146 graus causando a platéia a sensação de participação no filme. Era o primórdio da tecnologia 3D. O som também era de excelente qualidade com vários alto-falantes espalhados pela sala causando o efeito Surround.

 

Cine Marrocos: Aberto em 1952, de tão elegante era tido como o cinema mais luxuoso da América Latina. Localizado na Rua Conselheiro Crispiniano era o mais próximo ao Teatro Municipal, daí o seu glamour.

Cine Olido: Foi o primeiro cinema galeria de São Paulo e suas 4 salas viviam lotadas. Em 2004 a Prefeitura alugou o prédio e o transformou em Centro de Cultura.

Cine Ipiranga: Inaugurado em 1943, o cine Ipiranga era um dos mais disputados nos anos 80. Em 2005 encerrou suas atividades. O valor arquitetônico desse cinema é tão relevante que, em 2009, o Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da cidade de São Paulo tombou por completo o cinema.


Cine Marrocos - Em cartaz - Highlander

Art-Palacio: Avenida São João, 419. Inaugurado em 1936 como Ufa-Palacio, posteriormente foram criadas as Salas São João e São Paulo (1971). Um dos filmes mais famosos que estiveram em cartaz foi ''Os Caçadores da Arca Perdida'' (1981). Continua em funcionamento, apenas dedicado ao gênero ''adulto''.

Alvorada Top Cine: Avenida Paulista, 854 - Top Center - Bela Vista. Com capacidade para 500 lugares, logo na estréia de sua inauguração (maio de 1976), era exibido o filme: ''Shampoo'' com o ator Warren Beaty. Além disso, este cinema possuía um hall decorado com tons azuis e um jardim interno repleto de folhagens e samambaias.


Cine Marabá reformado em 2009

Belas Artes (ex Trianon): Rua da Consolação, (esquina com a avenida Paulista), Bela Vista. Sua história começou em 14/07/1967, passando por reformas em 2005. Com uma capacidade para 1040 lugares, divido em 6 salas. Marcou época na paulicéia desvairada com uma programação alternativa de seus filmes: o Cinema Europeu. Em 1980 na primeira reforma, ele passou a ter seis salas, cada uma batizada com o nome de algum artista brasileiro: Villa Lobos, Candido Portinari, Oscar Niemeyer, Aleijadinho, Mario de Andrade e Carmem Miranda. Após anos de sobrevivência, graças à parcerias com distribuidoras, sociedades e patrocínios de peso, infelizmente o projeto de recuperação deste patrimônio da cidade de São Paulo não foi à frente. Encerrado definitivamente no dia 17/03/2010, apesar de uma mobilização popular a fim de mantê-lo funcionando.

Com a chegada das grandes distribuidoras de filmes que se instalaram nos Shoppings, o centro perdeu de vez seu glamour. Os cinemas dos bairros e do centro que ainda funcionam só exibem filmes pornôs. A Prefeitura de São Paulo em conjunto com a iniciativa privada, estuda um plano de revitalização do centro e vários projetos para reabertura dos cinemas antigos estão na pauta.

Resta-nos esperar o dia em que possamos ir ao centro sem preocupações de assaltos, roubos de carros, drogados e pedintes na porta dos bares e casa noturnas, algo bem diferente como fazíamos a 30 anos atrás.

Ivana Fevereiro e Marco Paulo