Lembranças
Frases da nossa infância nos anos 80 - Parte 1


Quando cogitamos de escrever sobre este assunto eu já fiquei eufórica na mesma hora, como é gostoso recordar das coisas que não saiam de nossas bocas por mais que fossem besteiras (risos) então, vou citar aqui algumas frases explicando o que elas significavam e tenho certeza que a grande maioria delas vocês irão lembrar e rir assim como eu estou rindo ao escrever este texto.
Vamos ao besteirol (risos).

Quem quer brincar de pega-pega põe o dedo aqui que já vai fechar – sempre um cidadão ficava com a palma da mão erguida e virada para baixo, para que os interessados na brincadeira colocassem seus respectivos dedos embaixo concordando assim com a brincadeira.

Quem chegar por ultimo é a mulher do padre – esta frase causava um tumulto muito grande porque ninguém queria ser “a mulher do padre” e o que isso significava era que a pessoa ficaria solteira pro resto da vida, simplesmente porque padres não se casam.

Cala a boca já morreu, quem manda na minha boca sou eu– frase muito utilizada quando algum amigo nos mandava calar a boca, isso nos fazia sentir donos de nossas próprias vidas, mas, na verdade bastava falar isso perto dos pais pra vir logo um puxão de orelha ou tapão na boca, só pra nos mostrar que não mandávamos em nada (risos).

Fulano mora "Onde Judas perdeu as botas" - isso significava que a pessoa morava muito longe mesmo, Judas quando foi enforcado escondeu as moedas que ganhou por entregar Jesus em suas botas, estas botas nunca foram achadas e por este motivo “onde o Judas perdeu as botas” realmente é um lugar muito distante e muito escondido..

 

Enganei o bobo na casca do ovo – Essa era usada quando fazíamos algum amigo de trouxa, mas a origem desta frase é que alguns animais faziam buraquinhos nos ovos de galinha e os produtores pra não tomarem prejuízo colocavam estes ovos furados no meio dos ovos que estavam bons para serem comercializados enganando assim os fregueses.

Quem for homem cospe aqui - um garoto ficava com a mão erguida entre dois outros garotos que estavam às vias de uma briga, ai quando o garoto do meio falava esta frase os dois frente a frente cuspiam e o que estava com a mão erguida retirava a mão e o cuspe ia direto na cara dos dois brigões. Aí a briga não tinha mais volta...

Setembrochove
- trocadilho típico da nossa infância, perguntávamos isso e a pessoa entendia “você tem bruxove?” ou algo que o valha, ela não entendia nada e sempre falava que não, aí alguém zoava. como não, "você tem certeza", até a pessoa ficar encucada e de repente mudar a resposta, ou quando não mudava ai alguém respondia “Chove sim! Em setembro chove” é meio bobinho, mas as pessoas sempre caiam nesta brincadeira.

passa e não devolve – frase típica de sala de aula, o cidadão dava um tapão na cabeça do outro, mas este não podia devolver o tapa, então ele tinha que passar pro que estava sentado na frente.

Que time é teu? – mais uma frase que falada rapidamente dava outro sentido... ninguém queria responder pra qual time torcia depois de uma pergunta dessas... ou quando respondia. era uma resposta impublicável aqui... rs

Nanda Ramona