Lembranšas
Marcas de Roupas dos anos 80 - parte I

A moda dos 80, cortes assimétricos contrastavam com jeans rasgados, muita lycra e tudo muito colorido.

A ditadura da moda foi derrubada e cada um seguia seu próprio estilo ou todos ao mesmo tempo.

Era muito comum vermos na mesma festa todos esses estilos convivendo na mais perfeita harmonia.

Claro que a música também influenciou a moda e ajudou a formar estilos distintos e o engraçado era que bastava olhar o visual da moçada para saber qual era sua preferência musical.

Aqui no Brasil, as marcas importadas começaram a ganhar as vitrines das lojas mais populares, pois até o final dos 70 essas marcas eram restritas aos poucos que podiam viajar para fora do país.


Com uma leve, porem significante, abertura das importações, as grifes estrangeiras investiram pesado no Brasil não só importando seus produtos mas montando fábricas aqui. O Paraguai também nos deu uma mãozinha facilitando nosso acesso a essas marcas através dos sacoleiros.

Aqui no Brasil também surgiram muitas marcas que continuam fortes até hoje.

Vamos relembrar algumas das marcas que faziam a cabeça da moçada dos 80.

OP Ocean Pacific –Tudo começou em uma loja na Av. dos Bandeirantes próximo ao aeroporto de Congonhas em São Paulo. A estratégia da OP sempre foi de criar roupas com o tema de “estilo livre”. O criador da OP no Brasil foi o Sidão (isso mesmo, com “S”) pois o nome dele é Sidney. A inovação ainda mais na época do New Wave e também na grande fase do Surf dos anos 80 onde esta marca patrocinou os principais campeonatos da década de 80, entre eles o famoso campeonato OP Pro que foi na praia de Joaquina em Santa Catarina. Na Calfórina os campeonatos OP Pro eram muito famosos tanto no surf como no skate.
Uma das principais inovações na época da OP eram bermudas que mudavam de cor na água ou que apareciam vários logos da marca na bermuda ao ficar molhada e depois desaparecia ao secar.

Mal imaginava Sidão e todos os vendedores, que mesmo com vários tipos de tecidos em suas roupas, o sucesso maior foi com suas carteiras emborrachadas, utilizada em por diversas pessoas independente da marca de calça que estavam usando. Foi um verdadeira febre de consumo em meados dos anos 80.
A marca se consolidou no mercado principalmente no Surf, chegaram a lançar tênis da OP que combinavam com suas calças de popeline de algodão com elástico na cintura e vários bolsos.

A OP foi uma das lojas a adotar o sistema de Cartão Fidelidade naquela época. Com aquele cartão você recebia por Correio novidades em catálogo antes de chegarem as lojas, tinha uma certa prioridade no atendimento, pois eram lotadas essas lojas nos anos 80, não só a OP, mas a Pakalolo também era lotada. Além de descontos e data posterior para pagar. Foi uma grande “jogada”, pois além de funcionar como uma espécie de cartão de crédito, saia mais barato devido aos descontos e a maioria do seu público consumidor não tinha cartão de crédito, pois naquela época as restrições e comprovante de renda eram bem maiores para se adquirir um cartão de crédito.
Sidão também procurava trazer ao Brasil as modas com estilos que eram utilizados em países do Surf. Um exemplo disto foi uma época em que ele trouxe tecidos diretamente de Bali – Indonésia e aplicou em seus moletons e outras roupas.


O preço sempre foi um pouco salgado comparada a outras marcas, mas a qualidade dos produtos era inegável.

Nas rádios dos anos 80 (quando as músicas eram de qualidade em algumas estações), era muito comum a OP patrocinar programas de surf, skate e vôo livre na 89FM e na 97,7FM em Santo André. Era muito comum ouvir Australian Crawl, Wall of Voodoo e Psychedelic Furs em programas de surf e skate e depois vinha o comercial da OP com uma música e a frase: “Ocean Pacific..Wave in your heart....wave in you heart...”

Problemas econômicos que assolaram o Brasil e fecharam diversas marcas do skate e surf nos anos 90, também abalaram a marca OP. Somada as mais diversas marcas “cópias” que chegavam a sair de controle no final dos anos 80, com isso a OP terminava seu ciclo de sucesso no Brasil naquela época.

Atualmente, Sidão com uma grande marca de confecção tenta voltar com a marca OP no Brasil onde já é possível encontrar alguns produtos, além de ser encontrada até hoje nos EUA. A rede Wall Mart nos EUA é uma de suas revendedoras.


A OP no Brasil foi criada bem no finalzinho de 1979 e marca em si no EUA vem desde 1972, assim como a VANS que foi fundada em 1966, sempre apoiaram o Surf e Skate com seus produtos. Infelizmente as cópias acabam prejudicando grandes marcas e produtos de qualidade como vemos muito nos mais diversos segmentos.

Hang Loose – Marca brasileira criada em 1982 era fortíssima no ramo surfwear , sua linha de camisetas e acessórios caíram no gosto da moçada, mas as mochilas se tornaram a maior sensação da marca .

Hang Loose é um gesto havaiano conhecido como “Shaka” utilizado muito no Havaí.

Lightning Bolt – Marca Havaiana criada nos anos 70, chegou forte ao Brasil com a proposta de manter vivo o espírito do surf, sua coleção de roupas era sempre muito colorida e seus acessórios conquistavam pela inovação. As pranchas de surf estavam sempre entre os produtos mais vendidos da loja.

Benetton – “United Colors of Benetton” , suas malhas coloridas eram famosas, não só pela qualidade mas pela diversidade de cores e texturas. Alias, a Benetton foi uma das primeiras marcas a levantar a bandeira contra o racismo. Era comum em suas propagandas misturar modelos de diversas raças e etnias como brancos, negros, índios e orientais, todos interagindo como iguais, mostrando a todos a importância da união das cores e raças.

A Benneton também teve uma equipe de Fórmula 1 criada em 1986 junto com a marca de cigarros japonesa Mild Seven. Por ela passaram os seguintes pilotos:

Itália: Teo Fabi
Áustria: Gerhard Berger
Bélgica: Thierry Boutsen
Itália: Alessandro Nannini
Reino: Unido Johnny Herbert
Itália: Emanuele Pirro
Brasil: Nelson Piquet
Brasil: Roberto Moreno
Alemanha: Michael Schumacher
Reino Unido: Martin Brundle
Itália Riccardo Patrese
Países Baixos: Jos Verstappen
Finlândia: Jyrki Järvilehto
França: Jean Alesi
Áustria: Alexander Wurz
Itália: Giancarlo Fisichella
Reino Unido: Jenson Button

A história da equipe Benetton começou quando a United Colors of Benetton virou patrocinadora da equipe Tyrrell em 1983, da Alfa Romeo em 1984, e finalmente em 1985 do time de pequeno porte Toleman, esta se tornando famosa por ser a primeira escuderia de Ayrton Senna. No inverno europeu de 1985 para 1986, adquire por inteiro a Toleman, iniciando uma nova equipe.

Sua época áurea na Formula 1 foi em meados de 90 dando dois títulos de piloto para Michael Schumacher em 94 e 95. E um título mundial de construtores em 1995 com Johnny Hebert e Michael Schumacher na equipe.

A Benetton teve sua origem na Itália em Treviso na região de Veneto com a “Família Benetton” nos anos 60.


London FogSucesso absoluto nos pés dos jovens dos 80! Todos já tiveram ou desejaram um sapato de camurça da London Fog. Diferente dos sapatos, as roupas não fizeram tanto sucesso, mesmo porque eram caras e somente algumas lojas vendiam essa grife americana.

Fiorucci – Marca Italiana fortíssima na Europa com roupas modernas e ousadas que conquistaram as celebridades de Nova York. No Brasil os jeans e os camisões fizeram muito sucesso. Inclusive a Fiorucci foi a inventora do jeans stretch que conquistou as mulheres do mundo inteiro trazendo a sensualidade que não existia no jeans convencional modelando as curvas com o os modelos coladinhos ao corpo.


Zoomp – Marca brasileira que virou febre entre as modelos famosas no inicio dos 80. Sua primeira loja foi aberta no Shopping Eldorado e tornou-se um sucesso nos anos seguintes expandindo suas lojas no eixo Rio-São Paulo, transformando o raio amarelo em objeto de desejo da moçada da época. A Zoomp foi a primeira marca a criar o conceito de música ambiente em suas lojas.

Pakalolo – Se você viveu os 80 com certeza teve alguma peça de roupa da Pakalolo, mesmo que tenha sido somente um frufru ou uma tiara da marca!!! Embora fosse unissex essa marca era desejada por 100% das meninas. A Pakalolo tinha uma variedade enorme de produtos como roupas super coloridas, meias, jaquetas, mochilas e assessórios diversos. Por ser brasileira era relativamente barata e muito fácil de ser encontrada.

M.Officer – Brasileiríssima, criada por Carlos Miele nos anos 80, essa era a marca mais desejada por todos os jovens da década e a marca mais lembrada ainda hoje pela galera oitentista. Seus jeans eram mágicos, modelavam qualquer corpo, o corte e lavagem do jeans eram perfeitos, alem do que, exibir uma etiqueta da M.Officer era sinal de status. As roupas também eram super modernas e com estilo próprio.


Jeaneration Jeans – Essa marca de jeans também fez muito sucesso nos 80, o forte da marca eram as jaquetas e as camisas jeans, mas os macacões também fizeram sucesso, eu tinha uma jaqueta de linda de veludo da Jeaneration que, aliás, comprei na Mesbla!!

USTOP – Ahh quem não se lembra?? Foi minha primeira calça jeans, aliás, “calça rancheira” como dizia minha avó! Muito popular nos 80, pois era barata e todas as lojas vendiam. As camisas também eram famosas, principalmente depois do comercial “Bonita camisa Fernandinho”.

É isso aí pessoal, em breve lembraremos de mais marcas que fizeram parte da nossa adolescência!


Curiosidades:

- A OP foi uma das lojas a adotar o sistema de Cartão Fidelidade naquela época. Com aquele cartão você recebia por Correio novidades em catálogo antes de chegarem as lojas, tinha uma certa prioridade no atendimento, pois eram lotadas essas lojas nos anos 80. Além da forma de pagamento posterior parecido com cartão de crédito.

- A Benetton teve sua origem na Itália em Treviso na região de Veneto com a “Família Benetton” nos anos 60. Foi uma das primeiras marcas a levantar a bandeira contra o racismo.

- A famosa casa noturna dos Estados Unidos “Studio 54” foi freqüentada por Elio Fiorucci e chegou a ser conhecida como “daytime Studio 54” que os novos modelos de roupas eram utilizados pelos famosos da época.

- Hang Loose é um gesto havaiano conhecido como “Shaka” utilizado muito no Havaí.

Ivana Fevereiro e Vanderlei Schiavolin