Lembranšas
Propaganda de Natal dos anos 80

Quem se lembra das propagandas sobre a época natalina dos anos 80? Vamos relembrar os mais famosos! Tenho certeza que você vai viajar para aqueles bons tempos novamente!

Banco Nacional - Patrocinador do ETERNO Airton Senna, conseguiu produzir um comercial inesquecível! É só escutar as primeiras falas das crianças que a gente começa a cantarolar junto: “Quero ver você não chorar, não olhar para trás, nem se arrepender do que faz...”. São meninos e meninas em um coral, todo organizado, pórem com um integrante atrasado... O menino sai pedalando pelas ruas completamente desesperado, literalmente “voando”, enquanto seus colegas ficam “acenando”, “perguntando” uns para os outros: CADÊ??? O garoto acredita (como a própria letra da canção) que vai dar certo e realmente, ele consegue! Chega a tempo de finalizar o último verso: “pra vocêêê”! É emocionante!.

 

 



Mappin – Quem esquece do Natal Encantado Mappin? “Natal encantado Mappin, ele dá sorte! Pode acreditar!” Já começa com um duende falando: “Você não acredita em Duende, né?” rs. Logo, aparecem pai e filho na loja: “Não acredito! Quanta novidade!” diz o pai, e o filho grita: “Pai, olha! Um duende!” e o pai incrédulo fala: “Que Duende filho? Besteira!”, e o pai continua: “É tanta coisa! Olha esse Natal do Mappin é encantado mesmo!” O filho, com ironia, responde: “ÉÉÉ”. Mappin sempre inovando e surpreendendo!








Mesbla – Lembro de duas propagandas de Natal desta loja, a primeira (que me vem na memória) traz várias pessoas “comuns” dizendo suas impressões, seus desejos, até mesmo suas reclamações sobre a época natalina... Muito espontâneo e o meu preferido... O segundo comercial entitulado “Mesbla: Festa do Natal do Brasil”, mostra várias danças de vários países com suas próprias caracteristicas e, na sequência, aparece as tradições brasileiras, com a música tocando “no compassso do samba e do baião...”..."mostrando a todo o Mundo a magia de ser brasileiro...” A intenção foi mostrar a alegria da nossa cultura e encantar o mundo inteiro, mas, na minha opinião, fugiu do tema natalino propriamente dito.

 



Varig
– Bem tradicional, a propaganda começa com seus funcionários, bem uniformizados, cantando o jingle criado em 1960 mas que perdurou décadas: “Estrela brasileira no céu azul, iluminando de norte a sul”...“Papai Noel voando a jato pelo céu, trazendo um Natal de felicidade e um ano novo cheio de prosperidade... Varig, Varig, Varig!

 

 

 

 


Sadia – A tradicional ave da marca é induzida, hipnotizada pelo cheiro que emana de uma casa: “que cheirinho de Natal!” ela fala quando chega na janela: e a dona da casa tira do forno um assado dizendo que a Sadia esteve o ano todo na casa e não poderia faltar no Natal, a ave completa: “A Sadia deseja um Natal do Peru para todo Mundo!” É Sadia, é saudável! Quem consegue esquecer?

 

 

 




Coca-Cola
– O artista principal desta progaganda é o cantor Tom Jobim que faz uma pergunta: “E para você? O que é o Natal?” e ele responde que para ele é: “amor, reunião, alegria, carinho, amizade...”. Na sequência, várias famílias aparecem em diversas situações, com a música “Águas de Março” ao fundo cantada por várias pessoas, com o refrigerante estampando todos os cenários. Um clássico.

 

 

 

Bauducco – Simples e bem direto com cenas tradicicionais natalinas: “tão especial que só acontece uma vez por ano!” Uma frase com muito efeito para a época! E pensar que hoje em dia, tem panetone praticamente a todo momento...

Essas foram algumas das propagandas natalinas mais marcantes da década mais criativa de todos os tempos! Anos de ouro que deixaram muita saudade e que sentimos orgulho em relembrar!

Damaris Camargo