Lembranšas
Quermesse

Quem não espera chegar o mês de junho pra curtir as mais diversas quermesses?
Sem dúvida, o mês de junho é o mês mais animado do ano, já que a maioria das escolas, paróquias e comunidades realizam a famosa Festa Junina ou Quermesse homenageando, principalmente, Santo Antônio, São João e São Pedro.

Enfim, nós AMAMOS e procuramos ir todo final de semana de junho a uma quermesse diferente. Agora vamos saber um pouco mais de onde surgiu essa festa típica.


Quermesses são festas realizadas em diversas épocas, de acordo com cada paróquia e são compostas por manifestações e quitutes típicos de cada região como barracas de sorteios, jogos com prêmios, bebidas e típica comida caipira como: milho verde cozido, salsicha, espetinhos assados, pamonha, vinho quente, bolinho caipira, quindim, bolo de fubá, maça do amor e quentão, entre outros.

O termo "quermesse" é derivado da palavra kerkmesse, da língua flamenca, que em francês passou a ser kermesse, de onde se originou o termo em português. Sua origem está ligada a religião católica. Era a festa do santo padroeiro da paróquia ou aniversário da igreja.

Com o tempo essas festas foram perdendo o cunho religioso e no final da Idade Média estavam sendo consideradas como atentados aos bons costumes. A discussão chegou a tal ponto que no século XVI, o rei da França Carlos V proibiu a realização de festas que durassem mais de um dia, impondo severas penas àqueles que transgredissem esse regulamento. Porém, esse episódio de 1531 não demorou a ser esquecido e as quermesses novamente passaram a ser realizadas.

Atualmente em algumas regiões da Europa, como Mons e Antuérpia na Bélgica, ainda se realizam grandes procissões ligadas a esses festejos.
As quermesses, atualmente, também incorporaram novos elementos à festa e abandonaram outros, como a fogueira, a roupa de caipira, a quadrilha e os rojões.

O balão, um dos principais símbolos da festa, também foi adaptado. Hoje ele é apenas decorativo, já que, desde 1998, sua prática é proibida devido ao risco de incêndios.

Quem procura um arraial mais nordestino pode ir ao do CTN (Centro de Tradições Nordestinas), onde tem quadrilha, sanfoneiro e brincadeiras como o "pau de sebo".

Hoje em dia, além das quermesses realizadas nas paróquias, há também as quermesses promovidas pelas escolas públicas e particulares nos finais de semana de junho. Lá há apresentação de dança das turmas, muitas brincadeiras, além da comida típica deliciosa distribuída em diversas barraquinhas.

E você, o que está esperando pra correr e procurar uma Festa Junina ai pertinho de você e saborear os mais deliciosos quitutes e curtir esse clima tão gosto que ela proporciona?

Curiosidades:
Balão: era lançado com fitas coloridas com mensagens de agradecimento pela colheita e pedidos aos santos juninos.
Bandeirinhas: simbolizam devoção aos santos juninos, Antônio, João e Pedro, cujas imagens estampavam bandeiras.
Comidas: a base dos pratos da culinária junina é o milho, cuja colheita ocorre em junho e é agradecida na festa.
Fogos de artifício: as versões mais difundidas são as de que espantam os maus espíritos e acordam São João.
Fogueira: incorporada das festas pagãs pela Igreja Católica para celebrar o nascimento de João Batista.
Mastro: enfeitado com flores e frutas em devoção aos santos juninos para levar pedidos da Terra ao céu.
Quadrilha: surgiu na corte francesa, herdando palavras de ordem como "alavantu" ("en avant, tous", todos pra frente).
Simpatias: pedidos, como para conseguir um marido, sorte ou fartura, são feitos para os santos do mês.

 

Andréa Bergamo e Reynaldo Rivero