Lembranšas
Romances

Qual adolescente dos anos 80 que não leu um romance de banca da série Bianca, Julia, Sabrina entre outros?

Garanto que poucas!!

Esse gênero de leitura chegou ao Brasil nos anos 70 e popularizou-se nos 80 resistindo às controvérsias e as polêmicas que o cercava.
Taxado pelos intelectuais como literatura de baixa qualidade, literatura cor-de-rosa, ou pelos conservadores como leitura imoral, pois incentivava as mocinhas a viver uma grande paixão!!!

Realmente não se comparavam aos clássicos literários, mas eram populares por ser uma leitura leve, de fácil entendimento e principalmente pelo seu preço, além do que, bastavam alguns passos até a banca mais próxima para adquiri-los.

Esse tipo de romance popular era traduzido pela Companhia Editora Nacional já nos anos 60 e formou a coleção “Biblioteca das Moças”. A Editora Nova Cultural nos anos 70 começou a editar e a lançar esses livros periodicamente, visto o sucesso que faziam.

A série Bianca era a mais famosa, suas histórias seguiam a temática onde as protagonistas eram românticas e sonhadoras e o cenário era antigo.

As protagonistas da série Sabrina eram mais atuais e independentes e o cenário mais moderno. Já as da série Jéssica eram histórias mais picantes, com romances proibidos.

No entanto, todas elas seguiam o mesmo enredo; a mocinha apaixonava-se pelo galã, que muitas vezes tornava-se vilão e eram impedidos de todas as formas de viver essa paixão e depois de muito sofrimento e contratempos, o amor sempre vencia e então viviam felizes para sempre... Água com açúcar mesmo!!! Mas quando líamos, éramos totalmente envolvidas pelo clima de romance e então quando fechávamos o livro, imaginávamos nosso príncipe encantado chegando, não em um cavalo branco, mas em uma moto CB400 ou uma RD350 (motos famosas na época).

As tramas eram muito variadas, como a empregada que apaixonasse pelo patrão, a pobrezinha que cai de amores pelo ricaço, a viúva que deseja o amor de seu jardineiro e assim por diante, mesmo porque não existem padrões para o amor, nem cenários, que alias, eram bem retratados nesses romances.

As capas e os títulos eram bem sugestivos, com cenas românticas de forte apelo, a maioria exibia uma bela mulher nos braços de um bonitão musculoso sem camisa.

Muitas escritoras começaram sua carreira escrevendo esses romances, algumas usavam apelidos e lançavam vários títulos simultaneamente.

A verdade é que os “Romances de Banca” fazem sucesso até hoje, e movimentam milhões de dólares no mundo inteiro.

Literatura barata ou não, era uma forma de leitura e de entretenimento... e bem divertido, confesso!

Até a próxima!!!!

Ivana Fevereiro