Lembranšas
Livros Infantis - Parte I - Coleção Vagalume


Hoje começa uma série que fala de todos os livros da coleção vaga-lume lançados desde seu início no final de 1972 até o final da década de 80. Estes livros com certeza fizeram parte da vida escolar de muita gente que hoje tem mais de 25 anos.

Então pra começar vamos falar um pouco sobre o início desta coleção, onde um vaga-lume chamado "Luminoso" que usava boina e tênis estampava a capa de todos os livros desta maravilhosa série.


A série vaga-lume foi lançada pela editora Ática na virada de 1972 para 1973 e é composta por romances voltados ao público infanto-juvenil, a coleção ao longo do tempo teve algumas alterações no seu formato, mas suas capas clássicas e suas imagens são inesquecíveis.

Um dos criadores da série Jiro Takahashi afirma que o sucesso da coleção se deu por conta de uma série de fatores, sendo o principal deles o baixo preço dos livros. Altas tiragens permitiam preços muito mais baixos, que por sua vez facilitavam a adoção das obras por escolas.

Agora iremos falar um pouco sobre alguns títulos desta série:

O Caso da Borboleta Atíria: escrito por Lúcia Machado de Almeida em 1975 conta a estória de uma borboleta detetive que investiga um crime no mundo dos insetos. Esta borboleta nasceu com um defeito na asa que a impedia de voar, Atíria cresceu sendo super protegida por sua mãe de criação uma jitiranabóia (espécie de borboleta da família das cigarras ao qual a asa possui um desenho que se assemelha ao olho de uma jibóia) até que um dia ela se vê envolvida em uma série de assassinatos.

Uma curiosidade sobre este livro é como na época não existia internet, um dos ilustradores da série conta que para ilustrar o livro ele teve que passar muitas e muitas horas em um museu de zoologia para saber a forma de um Dynastes Hercules.

O Escaravelho do Diabo: lançado em 1972 e escrito por Lúcia Machado de Almeida, este era o meu preferido e foi um dos maiores sucessos da série. Um serial killer mata apenas pessoas ruivas e antes de tal fato se consumar ele manda para suas vítimas escaravelhos dentro de uma caixinha.

O protagonista do livro é Alberto, um estudante de medicina que é irmão de Hugo a primeira vítima do inseto, como é apelidado o assassino serial.
Após a morte do irmão, ele resolve investigar o caso, juntamente com o inspetor Pimentel e o sub-inspetor Silva.

A principal pista são os escaravelhos que o assassino envia a suas vítimas, as quais são mortas cada uma de uma maneira diferente: com uma espada, com uma seta envenenada, com cianureto e assim por diante.


O Mistério do Cinco Estrelas: escrito em 1981 por Marcos Rey, tudo começa quando um homem é assassinado no apartamento 222 do Emperror Park Hotel. O único que viu o corpo foi Léo, o mensageiro. Mas ninguém acredita em suas histórias, a não ser seus amigos Gino, Ângela e Guima. Léo é apenas um garoto e seus inimigos são ricos e poderosos, sem ter provas nenhum contra eles, acaba perdendo o emprego e sendo procurado pela polícia e agora quem irá acreditar em um simples mensageiro?

O trio Léo, Ângela e Guima são protagonistas de outros livros que constituem assim uma quadrilogia que começa com "O mistério do cinco estrelas" depois é seguido pelo "O rapto do garoto de ouro", "Um cadáver ouve rádio" e "Um rosto no computador".

O Rapto do Garoto de Ouro: lançado em 1982 por Marcos Rey, faz parte da quadrilogia que começa com O mistério dos cinco estrelas, protagonizado pelo trio Léo, Ângela e Guima, a história se passa na região central de São Paulo no bairro do bexiga, eles passam a investigar o rapto do seu amigo Alfredo que era famoso graças ao mundo da música, o Trio vai até a casa de Alfredo antes de um show e notam que o garoto não estava lá e fora raptado, Tendo como pista um botão da roupa do garoto e uma agenda verde, o trio detetive consegue solucionar o caso de uma maneira extraordinária.

Por hoje é só, aguardem que mais títulos desta espetacular coleção serão citados aqui.





 

Nanda Ramona