Notorious
The Bolshoi – Friends

 


A banda inglesa Bolshoi teve uma carreira muito curta, porém deixou registrado um trabalho marcante nos anos 80.

O álbum que teve mais destaque é o segundo trabalho da banda, “Friends”, lançado em 1986.

Eu decifro como um disco enigmático, pois claramente é um álbum technopop-rock, mas percebemos influências gothic em algumas músicas carregadas de melancolia, evoluindo com a roupagem eletrônica, sem abandonar os riffs de guitarra e um baixo característico.

Inicialmente, o álbum seria lançado com o nome de “Friends or Friends?” e posteriormente o grupo o reduziu apenas para “Friends”, curto, simples e agradou.

Acabou se tornando o melhor disco da banda, que abriu caminhos para vários shows pelo mundo, Argentina, México, Polônia, Canadá, Holanda, França, Alemanha, Espanha e também o Brasil, num show inesquecível, além de tocar imensamente nas rádios e casas noturnas, no auge da fase “Dark”.

FICHA

"The Bolshoi – Friends"
Data de Lançamento:
1986
Número de Faixas:10
Estilo: Synthpop
Tempo Aproximado: 51 minutos

Faixa-a-Faixa:

Lado A
01. Away - 4:54
02. Modern Man - 5:27
03. Someones Daughter - 4:05
04. Sunday Morning - 6:33
05. Looking For A Life To Lose - 4:43

Lado B
01. Romeo In Clover - 5:37
02. Books On The Bonfire - 4:59
03. Pardon Me - 4:35
04. Fat And Jealous - 4:08
05. Waspy - 5:15



Arte - The Cream Group
Baixo - Nick Chown
Bateria - Jan Kalicki
Teclado - Paul Clark
Fotografia - Alan King, Royston
Produtor e Engenheiro - Mick Glossop
Assistente Técnico - Andy Warwick, Damien Askeo -Brown, Noel Haris, Richard Whaley
Vocal e Guitarra - Trevor Tanner



Gravadora: Beggars Banquet

Agora um breve comentário sobre as faixas:

A WAY : Segundo grande sucesso do Bolshoi, que fez muito sucesso nos Estados Unidos, Europa e Brasil. A sonoridade se aproxima muito com The Cure, e isso fez com que a faixa desse certo.

MODERN MAN : Quem escuta essa faixa, facilmente a associará com a sonoridade do Mission, com um vocal bem semelhante ao Peter Murphy, muito boa!

SOMEONE’S DAUGHTER : Faixa que certamente inspirou a futura banda DeVision, seja pela sonoridade ou pelo vocal. Interessante a forma como o vocalista Travor Tanner brinca pelo disco, experimentando diversas entonações.

SUNDAY MORNING ; Sucesso absoluto, se tornou a música mais conhecida aqui no Brasil. A banda soube usar o synth de uma maneira única, deixando a faixa gostosa de ouvir e imortalizada.

LOOKING FOR A LIFE : Grande música do álbum, cuja sonoridade nos faz lembrar um pouco de Sisters.



ROMEO IN CLOVER (CALL GIRLS) : Faixa interessante, pois em certos pontos, a música simplesmente fica sem vocal e som, dando a impressão que terminou, porém continua.

BOOKK ON THE BONFIRE : Essa não ficou conhecida por aqui, mas foi lançada como single e se tornou marcante na Inglaterra.

PARDON ME : Música mais melancólica do disco, nem ao estilo gótico.



FAT AND JEALOUS : Passearam bastante com riffs de guitarra nessa faixa, com diferentes sons de sintetizadores ao fundo.

WASPY : O álbum encerra com chave de ouro com essa faixa sombria, crucial na visão dos fãs mais ardorosos.

Um bom álbum para ser apreciado, vale a pena relembrá-lo e baixa-lo para complementar sua coleção do melhor dos anos 80.



 

Carlos Simões