Notorious
Boytronic - The Working Model

Contra Capa

Lado A

Boytronic, banda de synthpop alemã formada em Hamburgo no ano de 1983 pelos integrantes Holger Wobker (Vocalista) e Peter Sawatzki, lançam nesse mesmo ano seu primeiro e melhor álbum, o “The Working Model”, um prato cheio para os amantes da música eletrônica daquela época.

Antes do lançamento do álbum, o nome original da banda era Kapitan Sehnshucht (Capitão Desire).

Com a ajuda do produtor Joachim Witt, os integrantes produziram e gravaram em estúdio algumas faixas todas em alemão, onde posteriormente distribuíram para algumas gravadoras. Infelizmente, de início o resultado não foi muito satisfatório e várias delas se recusaram a fechar com a banda. Witt, porém, insistiu e voltou ao estúdio para gravar uma faixa em inglês, a música “You”, chegaram a grava-lá 3 vezes até ficarem satisfeitos com o resultado. Continuaram então a distribuir o novo trabalho até que a Mercury Records resolveu assinar com a banda. No ínicio foi um pouco difícil, a song não emplacou de cara e apenas chegou a rolar em algumas casas noturnas na época.

As influências do Boytronic são as melhores, não é à toa que esse álbum foi uma obra-prima, influenciados nitidamente desde Kraftwerk, Human League e Visage, até The Twins e Depeche Mode.

Tudo muito perfeito, a banda só "pecou" por não estar no bendito "mainstream inglês" e assim não ter seu devido reconhecimento, já que os olhos da mídia ficavam todos voltados para as bandas inglesas e norte-americanas. Álias, a Alemanha foi pioneira em lançar bandas tops do Synthpop na década de 80 que pagaram esse mesmo preço, como os casos do Camouflage, Peter Schilling, Celebrate The Nun, The Twins, Cetu Javu, entre muuuitas outras maravilhas do país em que surgiu a música eletrônica com os gênios do Kraftwerk.

FICHA

"Boytronic - The Working Model "
Data de Lançamento:
1983, 9 faixas
42 minutos, aprox.

Faixa a Faixa:
01. Recycled (4:32)
02. Luna Square (4:52)
03. Diamonds And Loving Arms (4:34)
04. Red Chips (5:29)
05. You (4:17)
06. (I Want To Live) In Harmony (4:04)
07. My Baby Lost It's Way (6:07)
08. You're The One Who Stays (4:01)
09. At Last (4:25)

Produzido por: Herbert Böhme
Produção Executiva : Hans Koppold
Gravadora: Mercury


Lado B

Depois desse período “conturbado”, a justiça foi feita, claro, contando com um pouco de sorte também, por algum motivo a cantora Kim Wilde cancelou sua apresentação no famoso Germany’s Top of The Pops, canal musical onde as bandas “tops” do momento se apresentavam. A banda então foi convidada a participar no lugar de Kim e não deu outra, os meninos do até então, Kapitan Sehnshucht, fizeram sucesso instantâneo com “You” e a song entrou no Top 10 da Alemanha e de vários países europeus.

Em seguida, já com o nome de Boytronic, lançam o maravilhoso álbum “ The Working Model” incluindo o single “You” entre as faixas.

Outro clássico é Diamonds and Loving Arms - Uma das músicas de maior sucesso deste álbum de estréia, praticamente um hino contra as relações materialistas, a disputa amor real x dinheiro, infelizmente muitas pessoas ainda preferem o dinheiro, como eles cantam na música, uma das melhores letras dos 80.

- My Baby Lost Its Way - Para mim, a música mais romântica do álbum, com um sample maravilhoso durante a música, a letra expressa o sentimento de solidão a espera incansável da volta de seu amor. Primeira músicas deles a tocar nas rádios brasileiras, logo no lançamento do álbum, no programa New Musik, em 1983.

- Red Chips - Música muito gostosa para ouvir e pra lá de dançante, e não é à toa, afinal a letra é muito divertida e "quente", imaginam-se dentro de um computador onde tudo começa a queimar, lutam contra interface e esperam que um usuário salve as suas almas. Os vocoders Kraftwerkianos, e mais tarde usados pelo Dead or Alive, são bem marcantes no trabalho do Boytronic. Aliás essa música 'influenciou' bastante "You Spin me Round" do Dead or Alive, para não dizer que o Dead or Alive, praticamente sampleou a idéia e o rítmo.

E o desfile de maravilhosas músicas imbatíveis continua álbum adentro. Com certeza um disco que merece ser procurado por completo, sem excessão, todas as músicas beiram a maestria. Um disco definitivamente obrigatório na coleção de qualquer fã dos anos 80.

 

Fernando Martinuzzo