Notorious
Jean Michel Jarre - Zoolook

 


Contra Capa do CD

Para comemorar a chegada de 2011 escolhemos o músico futurista que fascinou o público nos anos 80. Todo ano novo fazia um show em lugar inusitado, nas pirâmides do Egito, na China em épocas de isolamento da cultura ocidental, e passava aqui no Brasil na TV toda virada de ano. Se no natal era o especial Roberto Carlos, no ano novo, o show que sempre passava e fascinava toda a juventude e adolescência dos anos 80 na TV Globo. O especial de Ano Novo, aqueles teclados que acendiam, aqueles efeitos de imagens nos prédios, sons futuristas, a revolução musical estava bem ali na nossa frente. Contemporâneo do Krafwerk, Jean Michel também é considerado um dos pioneiros da música eletrônica e sem dúvida um dos maiores gênios dos anos 80.

Este e o quarto album de estúdio do músico Francês instrumental eletrônico Jean Michel Jarre lançado em 1984 e provavelmente seu álbum mais experimental. Os anteriores segundo alguns críticos, hoje em dia soam datados (será?) mas este ainda é muito atual e principalmente intrigante, repleto de samples de vozes humanas em mais de 20 idiomas... Enfim, um disco experimental, com incursões introspectivas e características de genialidade.


Capa do Single "Zoolookogie"

Faixa a Faixa:

1. ETHNICOLOR:
Melhor faixa deste álbum, grande viagem começa com um clima sombrio (o que pode passar na cabeça de uma pessoa ao ouvir esse som?), aparecem varios samples de vozes e aos poucos a música vai para uma levada mais convencional entra bateria, slaps de baixo (que eu adoro), maravilhoso...

2. DIVA:
A música na minha opinião mais fraca desse álbum tem a participação da cantora experimental/multimídia (já ouvi um crítico chamá-la de E.T rs) Laurie Anderson (a mesma que gravou o tema do Superman), tem um som de voz que ora toca normal ora em velocidade mais acelerada...


Capa do Single de "Zoolook"

3. ZOOLOOK:
É a música mais simples desse álbum, nem por isso boa, teclados muito próximos ao que bandas synthpop inglesas usavam na época, com um rítmo mais descontínuo.
Ganhou um single e chegou a ter uma vendagem considerável.

4. WOOLLOMOOLOO:
Esta música tem um sons de teclado mais "espacias" tem também um som de cântico muçulmano meio sombrio ao fundo. Um pouco de vozes árabes que o Jean Michel gostava muito de usar, e chegou muito a ser sampleado pelas bandas de New Beat do final da década, inclusive esses trechos de vozes em árabe.

5. ZOOLOOKOLOGIE:
Esta música fica com o som de sintetizador de voz durante todo o tempo, entrou novamente na coletânea Aero de 2005. Chegou até a ser usado muito em propagandas pelo Brasil, inclusive tendo boa rotação nos programas de videoclipes da época. Foi um dos singles mais bem sucedidos deste álbum.

6. BLAH BLAH CAFÉ:
Não e tão conhecida como Zoolookologie ou Ethnicolor tem um som de sintetizador de voz que fica durante toda a música alguns trompetes, no início dessa faixa entre mais ou menos 44 segundos até 01:14 o som de sintetizador pra mim lembra... sei lá algum desenho animado... imagino um gato tendo seu rabo pisado (no desenho imaginário rsrs). Jogos de videogame da época usando bastante essa época, principalmente na fase posterior, no Master System.

FICHA

"Jean Michel Jarre - Zoolook"
Data de Lançamento:
1984
Número de Faixas: 7
Estilo: Eletrônico/Synthpop
Tempo Aproximado: 38 minutos

Faixa-a-Faixa:

01. Ethnicolor 11:41
02. Diva 7:33
03. Zoolook 3:50
04. Wooloomooloo 3:20
05. Zoolookologie 4:20
06. Blah-Blah Cafe 3:22
07. Ethnicolor II 3:52

Baixo - Marcus Miller
Bateria - Yogi Horton
Guitarra - Adrian Belew
Guitarra [Adicional] - Ira Siegel
Teclados - Jean-Michel Jarre
Teclados [Adicionais] - Frederic Rousseau
Outros [Ethnologista] - Xavier Bellanger


Gravadora: Polydor

7. ETHNICOLOR II:
Supostamente continuação de Ethnicolor, faixa curta, ambiente misterioso samples de vozes árabes. Ótima!!!


Arte do CD

Este e um grande álbum para uovir do início ao fim (não recomendado pra quem não curte música experimental).

Curiosidades


Na verdade o Jean Michel e o Kraftwerk, eram os mais usados em propagandas futuristas de rádio e TV, além de sempre serem usados nos programas do Carl Seagan, e nas matérias do Fantástico nos anos 80, quando falava de tecnologia. O Jean Michel Jarre era o recordista de músicas tocadas nos programas da TV Cultura, no Globo Ciência e vários outros programas mais inteligentes dos anos 80!

Já ouvi Ethnicolor como som de fundo em propaganda de rádio evangélica (sessão de descarrego) sera que eu deveria comentar sobre essa turma?

 

Edson Juan