Notorious
Siouxsie and the Banshees - Kaleidoscope

 



FICHA

"Siouxsie and the Banshees - Kaleidoscope"
Data de Lançamento:
1980
Número de Faixas: 11
Estilo: New Wave
Tempo Aproximado: 40 minutos

Faixa-a-Faixa:

01. Happy House 3:50
02. Tenant 3:41
03. Trophy 3:19
04. Hybrid 5:27
05. Clockface 1:48
06. Lunar Camel 2:56
07. Christine 2:58
08. Desert Kisses 4:15
09. Red Light 3:20
10. Paradise Place 4:31
11. Skin 3:45

Direção de arte: Rob O'Connor
Capa - Rose Harrison
Fotografia - Jones
Produção -Nigel Gray, Siouxsie And The Banshees


Gravadora - Polydor


Siouxsie and the Banshees foi uma banda britânica criada em 1976, tendo como base principal as parcerias nas composições entre Sioux e Severin, vocal e baixo. Foi aclamada pelos críticos como a banda de pós-punk mais importante e influente do cenário da música britânica.

A primeira apresentação com a formação original, foi no Punk Festival, em 20 de setembro de 1976, no 100 Club, em Londres. A banda tocou somente covers como "Twist And Shout" (dos Beatles), "Knockin' On Heaven's Door" (do Bob Dylan) e e uma versão de cerca de vinte minutos de "The Lord’s Prayer", que só agradou a um dos assistentes de Malcom McLaren, empresário do Sex Pistols, que estava na platéia. Logo após a apresentação, foram convidados a acompanhar o Sex Pistols como banda de abertura em uma turnê pela Inglaterra.

A formação de então era: Siouxsie Sioux nasceu como Susan Ballion (vocal), Steve Havoc (baixo) a banda também incluía Sid Vicious(bateria) e Marco Pirroni (guitarra).

Desde então, Siouxsie e Severin passaram a liderar a banda em uma troca incrível de guitarristas que pouco ficaram na banda. Para substituir Vicious e Pirroni, entraram Kenny Morris (baterista) e John McKay (guitarrista), o que deixou a formação estável nos 2 primeiros discos da banda até o fim de 1979.

Em 1980, foi lançado o "Kaleidoscope", seu terceiro álbum, que contou com a participação do guitarrista John McGeoch (ex-Magazine) que logo depois formaria a lendária banda Visage, ao lado de Midge Ure do Ultravox e Steve Strange. O álbum é considerado até hoje um dos melhores da banda, suas composições são mais trabalhadas e profundas, e teve uma boa aceitação por parte do púbico e pela crítica. Este chegou a número cinco no UK Albums Chart, "Happy House" e "Christine" emplacaram nas paradas inglesas. A banda experimentando novas estruturas em algumas canções, incorporando música ambiente sobre "Lunar Camel" e influências eletrônicas para "Red Light". Após o lançamento deste álbum, a banda saiu em sua primeira turnê pelos Estados Unidos. Foi seu primeiro experimento no mundo dos sintetizadores, trazendo texturas mais profundas, e incorporando elementos do technopop ao pós punk. Um marco na formação da sonoridade do gothic rock, o álbum Kaleidoscope entrou definitivamente para a história da música e conquistou milhares de fãs em todo o mundo, levando sua sonoridade para o topo das paradas e influenciando ninguém menos que The Cure e Smiths, como citados anos mais tarde pelos próprios Robert Smith, vocalista do Cure e Johnny Marr, guitarrista do Smiths.

A banda acabou em 1996, devido as muitas brigas e discussões entre Siouxsie e Severin. Entre seus maiores sucessos destacam-se "Hong Kong Garden", "Happy House", "Christine", "Spellbound", "Peek-a-Boo" e "Kiss Them For Me".


Lady Charisthy