discoteca básica
Sisters of Mercy - Floodland


Contra Capa da versão CD

Floodland é o segundo álbum dos Sisters of Mercy, lançando em 13 de novembro de 1987.

O Desentedimento

Depois do sucesso de First And Last And Always (1985), a banda começou a entrar em conflito durante a turnê de divulgação do mesmo, o guitarrista e co-fundador Gary Marx foi o primeiro a se desentender com Eldritch e deixar a banda. Um ano antes do lançamento de Floodland o guitarrista Wayne Hussey (ex-Dead or Alive) e o baixista Craig Adams, entraram em conflito abertamente contra Andrew Eldritch (vocal e "frontman"). As divergências musicais eram muitas.

Um ano depois Hussey criou junto com Craig Adams a banda The Mission.

Apesar de Marx ter sido o primeiro a anunciar seu desligamento da banda, a situação estava ainda pior entre Eldritch e Hussey, em virtude de, em alguns momentos, Hussey querer se meter também nas letras das músicas, deixando Eldritch furioso. Segundo declarações de Eldritch: "Wayne já tinha se tornado um problema, porque ele queria fazer mais por sua canções e eu as achava particularmente vazias. Eu costumava brigar com ele para tirar alguma espécie de sentido gramatical delas. Eu nunca cantei uma letra de Wayne. Eu nunca achei uma que pudesse cantar!".
Já Hussey daria uma outra versão da história: "A maioria das canções que estamos tocando no The Mission são canções rejeitadas por Eldritch para o segundo álbum dos Sisters. Isso é irônico, porque atualmente ele vê nossos shows e me diz o quão boas elas são". As últimas composições de Hussey não haviam agradado a Eldritch, além deste querer se impor mais no grupo chegando até mesmo a cantar, coisas que definitivamente não agradaram ao ego de Andrew. Este via a separação como algo inevitável.

Em julho, quando fizeram o show de encerramento no Royal Albert Hall, em Londres, que foi também um concerto de celebração do lançamento do primeiro álbum do Sisters of Mercy, (sem dúvida um passo importante na carreira do grupo), no final da apresentação, em vez de dar o tradicional "Boa Noite!" ao público, Eldritch diz apenas "Adeus". Ele realmente havia decidido que aquela seria a última apresentação do grupo. Esse show foi filmado e lançado em um vídeo chamado Wake. A banda ficaria simplesmente cinco anos sem pisar em um palco novamente.


Lado A da versão vinil


A Briga Pelo Nome

Logo após o fim dos Sisters houve muita baixaria tanto na imprensa quanto nos tribunais, chegando a circular, inclusive, boatos de que, além de Eldritch, os outros músicos também escreviam canções e não eram creditados. Mas o pior seria a batalha sobre o nome The Sisters of Mercy, pois, a princípio, todos os músicos da banda haviam descartado a possibilidade de usar o nome, caso montassem algum projeto musical. Entretanto Craig Adams e Hussey após tentarem, sem sucesso algum, um contrato com gravadoras, decidem apelar para a magia do antigo nome e se auto-denominam "The Sisterhood". Com esse nome chegam até mesmo a fazer alguns shows ao vivo.

A utilização do nome "The Sisterhood", uma evidente alusão ao antigo Sisters (e também o nome de um fã clube da banda), deixa Eldritch extremamente irritado, pois considerava isso uma quebra do antigo acordo. Porém, judicialmente falando, ele não poderia fazer nada para evitar isso.

Depois de muito insistir judicialmente e de "alfinetar" os ex-companheiros foi que Eldritch conseguiu enfim que Hussey e Craig mudassem o nome da banda para The Mission.

Ainda como Sisterhood, Eldritch lança Gift (uma palavra alemã para veneno). Eldritch confessou que seu único objetivo com o projeto era "provocar" os ex-colegas. Dessa forma, Hussey e Craig Adams não tiveram escolha, a não ser trocar de nome e passaram a se chamar "The Mission".

Enfim o Lançamento de Floodland

Finalmente em novembro de 1987, é lançado o segundo álbum do Sisters of Mercy (o primeiro com a nova formação), Floodland (o nome significa Terra do Dilúvio), que é aclamado mundialmente, por público e crítica alcançando o #9 lugar no TOP britânico. No tempo em que ficou aparentemente sumido da cena musical, Eldritch na verdade estava se dedicando de corpo e alma a esse projeto, e o disco chegou a ser gravado inteiro duas vezes devido ao perfeccionismo do vocalista. Com estilo bem diferente do disco anterior, traz verdadeiros hinos como "Dominion", "Lucretia My Reflection" e "This Corrosion".
No formato CD do álbum foram incluídas como bônus as músicas "Torch" e "Colours", esta última originalmente lançada em "Gift", agora com a voz de Eldritch.

Apesar de todo o sucesso alcançado em Floodland, em vez de embarcarem em uma turnê internacional, preferem voltar ao estúdio para a gravação de um novo disco. No ano seguinte é lançada a primeira coletânea de vídeos dos Sisters, chamada Shot, que traz os clipe de três músicas do álbum Floodland, mais um clipe adicional de "1959" (feito durante as gravações de "Lucretia..."). O vídeo de "Dominion" foi gravado na cidade de Petra, na Jordânia, e "Lucretia My Reflection" foi gravado na Índia.


Lado B da versão vinil
FICHA

Sisters of Mercy - Floodland
Data de Lançamento:
1987
Número de Faixas: 10
Tempo Aproximado: 33 min

Faixa-a-Faixa:

01. Dominion/Mother Russia 7:01
02. Flood I 6:23
03. Lucretia My Reflection 4:57
04. 1959 4:14
05. This Corrosion 10:55
06. Flood II 6:47
07. Driven Like The Snow 6:28
08. Never Land (A Fragment) 2:58
09. Torch


Gravadora: Merciful Release, WEA Records Ltd.


Dominion / Mother Russia - Um hino do Sisters! Alcançou a #13 posição na parada britânica. Aqui percebe-se uma certa diferença do álbum "First And Last And Always", com guitarras menos "puxadas" e grande acréscimo de elementos "atmosferic", porém sem perder a obscuridade.

Flood I - Por mais que o Sisters of Mercy tenha dito durante sua carreira que não se consideravam "góticos", nessa faixa você percebe uma certa "pressão" depressiva mesclada com pouco de "sensualidade", mesmo a letra falando do "Sonho da Inundação", talvez esse tenha sido um dos motivos do grande sucesso da banda.

Lucretia My Reflection
- Outro hino! Alcançou a #3 posição na parada britânica. Baixo "hipnótico", vocais "cavernosos" e as excelentes "guitarradas".

1959 - A faixa mais "radical" é 1959 (ano de nascimento de Eldritch), uma balada com apenas voz e piano, feita em homenagem a um fã que escreveu uma carta sugerindo a criação da música. Segundo Eldritch, "a ausência total de guitarras é para ser sentida profundamente. Fechando o "Lado A" com uma atmosfera mais "darkness"...

This Corrosion - Single de sucesso gigantesco #7 lugar na parada britânica. A faixa tem quase 11 excelentes minutos! Uma curiosidade é o coral composto por mais de 40 pessoas! Faixa empolgante!


capa da versão tape

FloodII - Excelente arranjo, bateria bem "puxada". A melancolia retorna com a segunda parte de Flood.

Driven Like The Snow - Com uma intro bem "darkness" e ótimos arranjos a faixa demonstra uma certa "estabilidade" musical do Sisters of Mercy. Você ouve e já associa : "É Sisters!"

Never Land (A Fragment) - Uma faixa mais "arrastada" em relação as outras. Momento "viagem"...


Torch - Primeira faixa bônus do CD. Tem uma "levada" também "arrastada" com uma "súplica" melancólica no vocal de Eldritch.

Colours
- Segunda faixa bônus do CD. Com apenas uma estrofe (por incrivel que pareça!) extramamente profunda e uma sonoridade que quase te transporta para outro mundo essa faixa mostra como Sisters é único.

Segue a letra:

Colours
You reap what you sow
Put your face to the ground
Here come the marching men, your colours wrapped around

Cores
Você colhe o que planta
Ponha seu rosto para o chão
Aí vêm os homens marchando, as suas cores enroladas

Curiosidade
O atual baterista Doktor Avalanche mantém uma seção no site oficial da banda (http://www.the-sisters-of-mercy.com/) chamada "Dear Doctor", em que ele responde as mais variadas (e inusitadas) questões sobre a banda...



Dergan Bertassi