Notorious
The Cure - Boys Don't Cry

Contra Capa de Boys Don't Cry

Boys Don't Cry foi o primeiro álbum do The Cure, lançado em agosto de1980, curiosamente foi lançado com esse nome na versão americana do álbum, o original, produzido e lançado em 1979 na Inglaterra tinha o nome Three Imaginary Boys, diferenciando-se ligeiramente na ordem das faixas, faltando três músicas ( "Foxy Lady", "Meathook", "It's Not You"),e  acrescentando outras ( "Boys Don 't Cry "," Plastic Passion "," Jumping Someone Else's Train ","World War "e" Killing an Arab"), sendo que os primeiros singles desse álbum foram  Killing An Arab (que gerou toda a polêmica do disco, “Matando um árabe” inclusive obrigando a banda a lançar os dois discos com nomes e algumas faixas diferentes), Saturday Night, Accuracy e Boys Don’t Cry., todos de 1979.
Na contracapa do álbum original inglês Three Imaginary Boys, os títulos das músicas não foram listados convencionalmente, mas eram representados por pictogramas. O álbum Boys Don't Cry tem o pictograma da canção "Fire in Cairo" como a sua imagem da capa.
Apelidados de "gurus da melancolia", o The Cure surgiu da cena punk britânica no final dos anos 70 para se tornar um dos líderes de vendas do rock na década de 1980. Quando o grupo de Robert Smith estreou, eles não tinham a pretensão de ser os heróis da nova onda gótica, eles eram apenas um trio de jovens descontentes que não gostavam do que escutavam nas rádios, pois não as achavam suficientemente inteligentes, ou suficientemente obscuras.

FICHA

"The Cure - Boys Don't Cry"
Data de Lançamento:
1979
Faixas: 13 faixas
Duração: 52 minutos aprox.

Faixa a Faixa:
01.
Jumping Someone Else's Train - 2:50
02.
Boys Don't Cry - 2:49
03.
Plastic Passion - 2:40
04.
10.15 Saturday Night - 2:15
05.
Accuracy - 2:58
06.
Object - 2:57
07.
Subway Song - 1:56
08.
Killing An Arab - 2:30
09.
Fire In Cairo - 3:20
10.
Another Day - 3:24
11.
Grinding Halt - 2:49
12.
World War - 2:30
13.
Three Imaginary Boys - 3:12

Gravadora: North American Records


Capa do Three Imaginary Boys

As letras de Robert são friamente sarcásticas e inteligentes, e se esquivam habilmente do machismo que havia em torno do rock. A banda foi aclamada como um dos ícones do rock gótico, com suas canções melancólicas e ao mesmo tempo pop.

Sobre a influência do álbum, digamos que ele continua a ser uma revelação absoluta e que, muito simplesmente, fala por si. Em 2003, o álbum foi colocado no número 442 na lista da revista Rolling Stone dos 500 melhores álbuns de todos os tempos, vale a pena conferir!
Faixas de destaque:

Faixa a Faixa:

Lado A:

Boys Don’t Cry – Dispensa maiores comentários, sem dúvida foi a song que lançou e projetou o Cure para o mundo.

10:15 Saturday Night – Um dos primeiros singles da banda, produzido antes mesmo do álbum, infelizmente não chegou a virar hit, mas é uma ótima pedida para os fãs do bom rock, inclusive saindo como bonus track no CD Standing on a Beach, reunindo os principais singles dos primeiros 8 anos do Cure. O baixo lembra muito o som do Joy Division.

Accuracy – quarta faixa do lado A, também foi um dos primeiros singles lançados, um pouco mais lenta e melancólica que a 10:15 Saturday Night.

Jumping Someone Else's Train – Faixa 6 do album, bem agitada, a que mais se parece com Boys Don’t Cry,  talez por esse motivo conquistando até um sucesso considerável. Também saiu em single no ano de 79, mas esse depois do lançamento do álbum.

Lado B:
Killing an Arab – A principal polêmica do disco está em torno dessa música, quando houve manifestações contra a música por ter conteúdo considerado racista contra os árabes.

Fire in Cairo – Uma das melhores faixa do álbum.

Grinding Halt - Com uma levada meio rock anos 60 é uma aventura musical interessante de Mr Robert Smith.

Three Imaginary Boys – Com o nome do álbum, essa é a música que mostra o que seria o futuro da banda nos 5 anos seguintes, um rock gótico e melancólico.

Paula Agapito