Notorious
The Cure - Head On Door

Versão de "The Head on the Door" em Tape

The Head on the Door é o sexto álbum do The Cure, lançado em 13 de agosto de 1985 e chegou ao sétimo lugar na Inglaterra e em 59º nos Estados Unidos.

Este álbum traz a formação clássica do grupo, com a volta do baixista Simon Gallup, o guitarrista Porl Thompson, o baterista Boris Williams que pertencia à banda Thompson Twins, além do companheiro de longas datas Lol Tolhurst que assumiu os teclados e claro, o líder e vocalista da banda, Robert Smith. A produção do álbum é do próprio Robert Smith e Dave Allen.

Lol Tolhurst declarou em entrevista no ano de 1988 que The Head on the Door foi o álbum mais variado que eles fizeram e que parecia mais uma compilação de singles.

Realmente este álbum quebrou a hegemonia da fase gótica que até então a banda estava rotulada. Robert Smith colocava em suas letras assuntos como drogas e alucinações e isso era muito evidente em trabalhos anteriores como Pornography, Seventeen Seconds e até mesmo The Top.

Lado 1 do Tape

Aqui no Brasil nos anos 80 as coisas aconteciam com muito atraso e o público começou a conhecer o The Cure de fato através do hit ‘In Between Days’ que está incluso neste trabalho, porém eles já estavam na estrada desde 1979 quando lançavam seu 1º álbum.

Os hits ‘Boys Don’t Cry’, ‘A Forest’, ‘Let’s go to Bed’, ‘The Walk’ entre outros que pertencem a trabalhos anteriores ao ano de 1985 vieram a tona por aqui junto com In ‘Between Days’ e o detalhe é que essa faixa foi lançada na trilha sonora da novela Selva de Pedra no ano de 1986 e isso fez com que muitos fossem atrás das raízes desta importante banda dos anos 80.

Faixa a faixa

In Between Days


Como já foi dito, hit responsável pela popularidade do The Cure aqui no Brasil e que ficou em 39º lugar nos EUA. Tem uma letra bem humorada e um vídeo clip que mostra o novo visual dos cinco integrantes da banda com maquiagens e que ajudaria ainda mais na divulgação do álbum.

FICHA

"The Cure - The Head on the Door "
Data de Lançamento:
1985
10 faixas, 37 minutos, aprox.

Faixa a Faixa:
01. In Between Days (2:55)
02. Kyoto Song (4:00)
03. The Blood (3:42)
04. Six Different Ways (3:16)
05. Push (4:28)
06. The Baby Screams (3:43)
07. Close To Me (3:23)
08. A Night Like This (4:12)
09. Screw (2:35)
10. Sinking (4:50)

Produzido por: Dave Allen, Howard Gray e Robert Smith
Engenheiro de Som: Dave Allen
Gravadora: Fiction Records

Kyoto Song

Uma homenagem aos japoneses, onde o The Cure tem um grande público. Claro que Robert Smith não deixaria de adaptar na melodia suas letras obscuras que nesta canção fala de um pesadelo onde acontece uma morte em uma piscina.

The Blood

Agora a homenagem vai para a Espanha com o ritmo Flamenco. Apesar do título ‘Sangue’, The Blood tem uma bela letra. ‘I am paralysed by the blood of Christ’ – Estou paralisado pelo sangue de Cristo.

Six Different Ways

A melodia é bem descontraída com piano e flauta e conta sobre
as seis maneiras diferentes de agir em uma mesma pessoa.

Push

Uma das minhas preferidas deste álbum que tem uma bela introdução e que fecha o lado A.

The Baby Scream

Ritmo mais agitado. A letra fala sobre o paraíso, mas também é uma
alusão de uma tortura de um bebê até a morte. É o lado obscuro da banda mais uma vez se revelando.


Lado A do Vinil

Close To Me

Segundo maior hit do álbum, Close to Me tem um vídeo clip bastante divertido onde vemos os cinco integrantes da banda trancados dentro de uma ármario que despenca dentro do mar. O ritmo é bem interessante e podemos até ouvir a respiração ofegante de Robert Smith no desenrolar da música. O solo de trompete dá um ar de graça na música.

A Night Like This

Outra ótima canção que obteve bom reconhecimento do público e acabou virando hit mesmo tratando-se de uma música mais reflexiva.



Screw


Com um baixo distorcido e letra desconcertante, o Cure mostra mais uma vez que este trabalho é bem diversificado dos anteriores.

Sinking

Agora sim, Robert Smith cai na melancolia e despeja o que mais sabe fazer. Letra que fala sobre a pessoa a cada dia estar em maior decadência (Naufrágio). A melodia também é um tanto angustiante e fecha este trabalho com misto de gótico +
pop.

Curiosidade:

Robert Smith declarou que The Head on the Door é um álbum balanceado, pois tem o lado soturno e o lado mais descontraído, pois a audiência da banda anteriormente tinha como adeptos pessoas depressivas e com tendências a se matar, mas que ele nunca pregou o suicídio e que suas letras continham metáforas muitas vezes mal interpretadas pelas pessoas. Disse também que o Cure é apenas uma banda de Rock e não uma filosofia de vida.

Reinaldo Varani