Notorious

Erasure - The Circus

Capa do single "Victim of Love"

Capa do single "Sometimes"

O Segundo álbum dessa dupla maravilhosa, de 1987, formada pelo tecladista Vince Clarcke (ex-Depeche Mode e ex-Yazoo), e com a sensacional voz de Andy Bell, inicialmente não fez sucesso nas rádios em terras brasileiras. Alguns DJ's da época começaram a explorar alguns hits deste álbum nas pistas de dança, como "Sometimes". Considerado entre os 10 álbuns mais importantes dos anos 80, The Circus revolucionou o mundo da música, com uma banda de uma gravadora independente, assim como a Factory do New Order, que tinha já alcançado esse feito, chegando a todos os topos das paradas européias, revolucionando as rádios que passaram a tocar mais as bandas independentes graças ao New Order e ao Erasure que eram as mais pedidas nas pistas e rádios de toda a Europa.

FICHA

"Erasure - The Circus "
Data de Lançamento:
USA: 07/07/0987 e UK: 30/03/1987 -
11 faixas - 42 mimutos, aproxim.

Faixa a Faixa:
01. It' Doesn't Have To Be - 3:57
02. Hideaway - 3:49
03. Don't Dance - 3:39
04. If I Could - 3:53
05. Sexuality - 3:54
06. Victim Of Love - 3:42
07. Leave Me To Bleed - 3:23
08. Sometimes - 3:40
09. The Circus - 5:31
10. Spiraling - 3:10
11. In the Hall of the Mountain King (from Peer Gynt Suite N 1 Opus) - 2:59
12. Sometimes (Extended Mix) - 5:22
13. It Doesn't Have to Be (The Boop Oopa Doo Mix) - 7:12

Letras escritas por: Clarke and Bell
Masterizado: WCI Record Group
Remixado: Phil Harding, Erasure
Trompete: Guy Barker
Arranjo: ERASURE
Performance: ERASURE

O Erasure definitivamente estourou nas rádios depois do 3º álbum (veja: The Innocents, aqui na sessão Notorious também!) e nas paradas do mundo todo com o super hit "A Little Respect".


Capa do single "The Circus"

Neste álbum podemos encontrar alguns sons que ganharam remixes elaborados, assim como: "Victim of love" e "The Circus" (umas das poucas politizadas do Erasure).

Depois de terem passado pelo 1º álbum, "Wonderland", Vince e Andy já estavam bem mais familiarizados, e isso fez com que a produção deste álbum tivesse toques e abordagens de grande efeito.

Em "It Doesn't Have to Be", percebemos um funk-house nos teclados de Clark, combinando com o tom alto e melodioso da voz de Andy. Na letra de "Sometimes" Andy faz um "convite para amar", enquanto Vince faz um mix com seus sintetizadores e seu violão.


Capa do single "It Doesn't Have to be"


THE CIRCUS fez tanto sucesso que ganhou uma espécie de continuação (The Two Ring Circus), um álbum duplo com remixes, faixas ao vivo e com arranjos orquestrais, com versões inesquecíveis de "Sometimes", "Victim of Love", "It Doesn't Have to be" e "Leave me to Bleed". Sem contar a inesquecível versão ao vivo de "Oh L'amour"!

Este álbum eu demorei um pouco para achar e ter na minha discoteca básica, pois não foi fácil de achar! Mas depois de conhecer "Victim Of Love" e "Sometimes", é impossível ficar indiferente!

Pauly